Email: Senha: Encerrar sessão
Brasil, Adicione aos Favoritos Definir como P�gina Inicial
  Home
  Cadastro
  Notícias
  Consulta Tít. Eleitor
  Guia do Eleitor(TSE)
  Como Votar(TSE)
 -Eleições 2018
  Calendário Eleitoral
  Cand. Presidente
  Cand. Governador
  Cand. Senador
  Cand. Dep. Federal
  Cand. Dep. Estadual
 - Links Governos
  Senado Federal
  Câmara Federal
  Ass. Legislativas
  Governos Estaduais
  Prefeituras
  Câmaras Municipais
  TSE
  Lista TREs
 -PolíticaBR
  Famigos
  Matérias
  Sua Mensagem (Novo)
  Dúvidas
  Links
  Utilidade Pública
  Classificados
  Seu Curriculum
  Fale Conosco
  Hospedagem de Sites
  Politica de Privacidade

div>
Enquete

No se trata de Pesquisa Eleitoral, conforme art. 33 da Lei no. 9.504/97, mas de mero levantamento de opinies, sem controle de amostra, sem uso de mtodo cientfico para sua realizao, dependendo, apenas, da participao espontnea do interessado.

Se as Eleies Fossem hoje, em quem votaria para Presidente?

Lula
Fernando Henrique
Dilma Rousseff
Antony Garotinho
Jos Serra
Acio Neves
Ciro Gomes
Fernando Gabeira
Marina Silva
Heloisa Helena
Qualquer outro menos estes
Vou Anular meu Voto
Vou votar em Branco


 
Ver Resultados

Registre seu dom�nio
www.
By Nomer.com
 
 
Publicidade
Jornal Correio Popular

Jornal Correio Popular
 
Notícias - 04/11/2013

Contrato para produzir satlite ser assinado este ms

O presidente da Telebrás, Caio Bonilha, afirmou nesta segunda-feira, 4, que o contrato que permitirá o início da fabricação do satélite geoestacionário de defesa e comunicações estratégicas do Brasil será assinado ainda em novembro. O equipamento dará mais segurança às comunicações no País, fornecerá cobertura em todo o território brasileiro e será usado para a defesa nacional.

Em agosto deste ano, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, havia dito que o lançamento do satélite iria ocorrer até 2015. As previsões atuais, entretanto, mudaram para 2016. De acordo com Bonilha, que esteve na Comissão de Infraestrutura do Senado, a dificuldade está no aumento da demanda por satélites no mundo, o que faz com que o Brasil fique em uma fila de espera para a produção do equipamento. Segundo ele, o satélite deve ser lançado entre 27 e 30 meses a partir da assinatura do contrato.

No ano passado a Telebrás e a Embraer assinaram um acordo que fundou a Visiona, companhia gerenciada pelas duas empresas com a finalidade de fazer contratação de fornecedores, atuar na logística e fazer a locação de aparelhos para o lançamento de satélites pertencentes ao Brasil. A operação do equipamento será feita pela Telebrás em parceria com o Ministério da Defesa.

A fabricação do satélite será de responsabilidade da francesa Thales Alenia. Na opinião do diretor do Departamento de Banda Larga do Ministério das Comunicações, Artur Coimbra, um dos maiores ganhos com o projeto, que deve custar cerca de US$ 700 milhões, será a transferência de tecnologia. Segundo ele, o País tem capacidade de produzir satélites menos complexos. `Esse primeiro satélite vai permitir que sejam transferidas tecnologias especificas. A partir do segundo satélite, já seremos capazes de produzir partes desse equipamento`, afirmou.

Quando estiver em atividade, o satélite será capaz de fornecer sinal para áreas remotas da Amazônia, além de poder atender plataformas e navios de toda a região do pré-sal. De acordo com o presidente da Telebrás, atualmente, os satélites comerciais atuam somente em regiões de alta demanda.





Este site é melhor visualizado com o Internet Explorer 8.0 ou Superior e resolução 800x600.
Política de Privacidade - PoliticaBR 2004-2016 - Todos os direitos reservados